Quando você parou de se achar bonita?

10 de setembro de 2016

martinha-barreto-poesia

“Eu nunca fui o exemplo de garota bonita. Eu sou desafinada, mesmo amando cantar. Não sei dançar, apesar de me divertir horrores dançando. Não sei costurar, mesmo sempre costurando as roupas das minhas bonecas. Não sei sorrir sem fechar os meus olhos ou ficar vermelha, apesar de rir de quase tudo. Não sei pegar no garfo usando a mão direita, mesmo sendo ambidestra. Eu sou destrambelhada, apesar de amar ajudar as pessoas em tudo. Eu não sei cozinhar tão bem, mesmo amando testar receitas novas. Eu sou uma completa garota imperfeita. Cresci ouvindo que não sou tão bonita assim, que devia alisar o meu cabelo e deixá-lo sem tanto volume. Aprendi que eu não deveria opinar sobre tudo, ser tão a favor dos que sofrem e que sair pelo mundo ajudando não é algo que vá me fazer bem. Eu não sou uma garota bonita. Não pra sociedade em que vivemos.

Nunca gostei de esportes ditos femininos. Vôlei? Derrubo tudo que toca minhas mãos. Futebol era minha alegria. Falar disso? Jamais, isso não me faz uma garota bonita. Minhas pernas? Finas demais. Vou acabar voando. Minha barriga? Flácida. Minha pele? Cheia de cicatrizes e marcas de injeções. Não, isso não me faz uma garota bonita. Aliás, quantas garotas bonitas nós temos por aí? Somos tão obrigadas a cairmos na perfeição, a sonharmos com o dia em que vamos ser ditas como belas que esquecemos que nossa beleza está por dentro.

Eu posso não andar como a Gisele andou na abertura das olimpíadas, eu posso não ter o corpo das Kardashians e posso ter o meu cabelo igual o daquela princesa, como é mesmo o nome dela? Merida. Eu posso ser assim e continuar sendo belíssima. Todas as minhas particularidades me fazem ser essa poesia ambulante. Eu gosto de ser poesia. Eu prefiro ser poesia. Talvez algum dia eu me ame sendo quem sou, talvez isso não aconteça. Mas alguém, em algum lugar do mundo, me amará por isso. Especialmente por isso. Garotas bonitas são lindas, mas garotas poesia são poeticamente como a água. Essenciais. Então, hoje, numa manhã de sábado, eu me declaro poesia e quando eu parei de me achar bonita? Quando me vi no espelho pela primeira vez.”

 Se você, assim como eu, também se sente uma poesia ambulante, use a hashtag no instagram #soupoesiaambulante, explicando o porquê de você se sentir assim e desde quando parou de se achar uma garota bonita. Vamos fazer uma linda corrente mostrando que somos lindas do nosso jeito, que somos poesia, que somos amor. Selecionarei as fotos e textos para postar aqui. Vem comigo?

poesiaambulante

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.


24 comentários

24 respostas para “Quando você parou de se achar bonita?”

  1. Lais disse:

    Nossa Martinha que texto lindo, me identifiquei demais

  2. Júlia Brito disse:

    Eu estou completamente com esse texto! Somos todas poesias, somos todas lindas, sempre! Amei a ideia, e quero muito fazer! Você é amor!

  3. Marina disse:

    Sabe quando você começa o texto e já se vê nele? Quando nem repara que está sorrindo ao ler. “Não sei sorrir sem fechar os meus olhos ou ficar vermelha, apesar de rir de quase tudo”, foram tantos trechos maravilhosos que não tem nem como escolher somente um. Parabéns Martinha, por inspirar/ajudar tanta gente, você é luz! <3
    Beijãããõ

  4. Daiane Rodrigues disse:

    Que lindo texto, você é muito iluminada 😍

  5. Poli disse:

    Então descobri porque você é mais linda ainda. Você é poesia, Martinha!
    Quero aprender com você!
    Amei o texto!

  6. Ste Eduarda disse:

    Martinha,tu me fez chorar com esse post.Muito obrigada por compartilhar algo tão belo e puro conosco.Somos todos uma poesia ambulante.Somos lindas independente de tudo.💜💙

  7. Ane Caroline disse:

    Que texto lindoooooo Martinha 😍 Deu vontade até de usar uma foto que já tenho postada.

  8. Lays Lima disse:

    Essa sociedade cheia de rótulos nos faz esquecer que quem somos e o que somos é o que nos tornam tão especiais e bonitas ! <3
    Negar os rótulos, as "ordens", rejeitar esse padrão de certo ou errado, é aceitar nós mesmas !
    Amei o texto de verdade ! Parabéns <3

  9. Victoria Cruz disse:

    Uau, que texto!! Me identifiquei muito!

  10. Maria Fernanda disse:

    Que texto lindo

  11. Júlia disse:

    uau!!que texto,meus parabéns,você é uma ótima escritora <3

  12. Super me identifiquei, estava precisando ler isso. Obrigada! <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *