Deixei a tristeza entrar.

26 de Janeiro de 2016


Um dia desses… Eu estava triste, digo triste mesmo, com direito a lágrimas e tudo. Pensei que não suportaria as pressões que a vida fazia em mim, julguei-me como fraca. Não fazia nada mais do que ter pensamentos melancólicos com uma vontade de jogar tudo pro alto e correr numa chuva como nos filmes mostra. Eu só queria que tudo fosse mais fácil, que não existisse problemas e eu conseguisse me tornar uma pessoa melhor. Mas, isso não aconteceria. Tudo seria como sempre foi: complicado. Nem todo mundo é quem demonstra ser. Nem todo mundo é forte como diz ser. Nem todo mundo sorrir todos os dias com o coração. Às vezes, as pessoas só demonstram não se importar para que não permita que mais pensamentos ruins a inundem. Sim, eu sou assim.


Por mais que eu lute para ser uma pessoa mais grata a vida pelas coisas que ela já me deu, às vezes eu simplesmente quero entrar num potinho onde tenha livro e açaí para passar a vida toda ali. Longe de tudo. Longe de toda a maldade, falsidade, crueldade, essas coisas que terminam no “ade” e fazem tão mal a nossa alma.  Só queria um escudo que protegesse meu coração disso. Contudo, como será possível? Não será. A gente se coloca em meio a tanta coisa ruim e acha que isso não vai nos atingir, mas vai. Somos humanos e humanos são atingíveis.

Sim, eu sei. Existe tantas coisas piores acontecendo pelo mundo afora. Existe tanta gente boa passando por uma guerra. Existe tantos animais com sede. Existe tantas árvores cortadas antes mesmo de vêem seus frutos crescerem. Existe tanta criança que não consegue pular, correr e gritar. Existe tanta casa caindo. Existe tantos idosos com fome. E é isso que me faz querer não ser daqui. A sensação de impotência atordoa-me, deixando a minha cabeça completamente maluca. Como nos salvar desse mundo que não quer ser salvo? Dessas pessoas que preferem cultivar o ódio a o amor?

Ah, é triste ficar triste. É triste querer chorar, gritar e se sentir ingrato por isso. É triste, mas é um mal necessário. Às vezes nossos sentimentos precisam sair dos nossos corações e tomar suas rédeas, mesmo que isso signifique perder uma tarde de céu azul. A gente faz até o sol virar nuvem para que depois venha o arco-íris, e assim voltar à vida normal. Voltar a ver o lado bom dela. Afinal, mesmo com todas as suas melancolias, só temos uma e devemos aproveitá-la. 

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

5 frases de Anne Frank para refletir.

20 de Janeiro de 2016

Um dos meus livros favoritos do mundo inteiro chama-se “O diário de Anne Frank” , uma vez que o mesmo é um dos mais lidos do planeta e consegue passar apesar de tanto tempo, uma imagem sobre a nossa realidade. Anne, apesar da pouca idade, foi uma menina muito sábia e com reflexões dignas de uma adulta. Resultado da sua realidade vivida. Por isso, resolvi trazer aqui cinco partes do diário dela que me fazem pensar bastante e até mesmo me identificar. Espero que vocês gostem, e quem não leu, sinta vontade de ler essa obra tão linda e triste. Vamos as citações?

“Sinto-me como um pássaro a quem cortaram as asas, e que bate, na escuridão, contra as grades da sua gaiola estreita.”

“Quero amigos, não admiradores. Pessoas que me respeitem pelo caráter e pelo que faço, não pelo sorriso encantador. O círculo ao meu redor seria bem menor, mas não importa, desde que fosse composto por gente sincera.”

“Criticam tudo, e quero dizer mesmo tudo, sobre mim: o meu comportamento, a minha personalidade, as minhas maneiras; cada centímetro de mim, da cabeça aos pés, dos pés à cabeça, é objecto de mexericos e debates. São-me constantemente lançadas palavras duras e gritos, embora eu não esteja habituada a isso. Segundo as autoridades definidas, eu devia sorrir e aguentar.”

“Para ser honesta, não consigo imaginar como alguém poderia dizer ‘Eu sou fraco’ e continuar assim. Se você sabe isso a seu respeito, por que não luta contra, por que não desenvolve o caráter? A resposta deles sempre foi: ‘Porque é muito mais fácil não fazer isso!’ Essa resposta me deixa desencorajada.”

‎”Gostaria de dizer isto: acho estranho os adultos discutirem tão facilmente e com tanta frequência sobre coisas tão mesquinhas. Até agora eu achava que birra era uma coisa de criança e que a gente superava quando crescia.”

Bom, essas foram as minhas cinco citações favoritas. Contudo, o diário é MUITO bom pra você refletir e parar pra pensar nas coisas boas da vida. Anne era muito sábia, ela não sabia o quão inteligente ela era e como a sua visão do mundo pode ajudar muitas pessoas. Quero ser uma Anne.e vocês? Enfim, espero que tenham gostado do post e se gostaram, posso trazer mais citações dos meus livros favoritos pra cá. Um beijo, martinha. 

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

Movimento Pode Desabafar!

14 de Janeiro de 2016
Sabe aqueles dias em que a gente só quer sair correndo gritando? Ou que queremos jogar tudo o que sentimos pra fora, mas temos medo da opinião alheia? Bom, trouxe aqui uma solução, uma vez que isso sempre acontece comigo. Que solução é essa? O movimento Pode Desafabar! “Ok, martinha, legal e tal, mas como funciona isso?” Bom, você nos manda um e-mail desabafando, e nós te respondemos. “Ah, legal, mas quem são vocês?” Poxa, me desculpa por não ter dito antes. O movimento é formado por 5 blogueiras (eu, Vanessa, Camila, Samara e Nicole) e antes que você pergunte, você é quem escolhe como podemos te responder: vídeo, post no blog, fanpage ou pelo próprio e-mail mesmo. O que importa é que a gente te ajude!  
A nossa intenção é ajudar aqueles que precisam de uma palavra amiga, um conselho ou uma ajuda rápida. Sabemos o quão difícil é confiar nas pessoas hoje em dia, ou melhor, o quão difícil é reconhecer que temos problemas e desabafar com alguém. Sempre queremos ser fortes, não é? Mas extravasar não te faz fraco, não esqueça disso nunca. Se você precisa conversar com alguém, converse. Isso vai te ajudar.  
Mas, qual o email? É esse: pdresponde@gmail.com 
E qual de vocês irá me responder? Qualquer uma. Será um sorteio.  
Eu preciso me identificar? Não. Isso fica a seu critério.  
Posso divulgar o projeto pra outras pessoas? Com certeza!  
Por fim, é isso. Qualquer dúvida, podem comentar aqui ou mandar um e-mail. Esperamos que vocês participem do projeto e lembrem da gente quando precisarem desabafar. Estamos aqui pra isso! Ah, não esqueçam: se cada um plantar um pouquinho de amor todos os dias, colheremos um mundo mais amoroso no futuro. Plantem amor! Um beijo. 

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

Alegre-se com a felicidade do próximo!

08 de Janeiro de 2016

Até que ponto você consegue atacar uma pessoa para subir na vida? Qual parte da sua vida você consegue tirar pra poder destruir alguém? Será que você percebe o quão perturbador tu consegues ser só por viver em função de jogar um ser humano de uma ponte? Não? Então vamos conversar.  
A nossa vida em si é cheia de dificuldades, temos problemas, temos erros, tropeçamos nos nossos próprios pés, nos cansamos, ficamos doentes e às vezes nem forças temos para chegar a tal lugar. Com todo mundo é assim. Até aquelas pessoas mais improváveis que vivem sorrindo, tem dificuldades ao longo da sua jornada. Não ache que só você sofre meu caro, todos nós sofremos. Não é fácil pra ninguém viver. Você consegue se lembrar daquele dia em que acordou a noite com medo de perder seus pais? Aquela moça ali da esquina já acordou assim também. O seu pavor a remédio no corte de joelho, o seu desprezo por cenoura ou até aquele medo que você tinha de chegar perto da menina que você gosta, todos já passaram por isso. Por isso, não podemos julgar os outros. Achar que eles não merecem o que conquistaram e gritar ao mundo a injustiça de você não ter recebido um troféu e seu amigo sim. Tu, por mais contato que tenha com ele, não sabe as ondas que ele teve que pular pra conquistar.
Além disso, não adianta nada você reclamar agora. Não é assim que se consegue atingir os objetivos. Pra ganhar qualquer corrida, é necessário que a gente corra mais e mais rápido, colocar o pé pra derrubar o adversário não vai te fazer vencer se você não continuar correndo. Alias, só vai te prejudicar mais do que você prejudicou ele. Você pode ser desclassificado, você pode ser punido e com certeza não colherá bons frutos pela sua desonestidade. Mas, se você, faz amizade com seu adversário e conversa com ele pedindo dicas, talvez os dois vençam o desafio. O problema está todo nas pessoas quererem sempre está na frente do outro, ganhar do outro, ser melhor que o outro e se sentirem superior ao outro. Se alguém se destacar um pouco mais que elas, já é motivo para receber o máximo de ódio possível. Por isso, elas não conseguem ganhar a corrida. E se ganham, depois perdem o prêmio por ter colocado o pezinho lá no inicio para derrubar o outro.
Aceitar que as pessoas podem vencer também, não é fácil quando temos a autoestima baixa, mas é possível se você tentar e seguir os conselhos de Jesus, mesmo que não creia nele, se você amar o próximo como ama a si mesmo, ficará feliz em ver os outros vencendo batalhas também. E sinceramente, não existe nada melhor do que a gente sorrir pela alegria das pessoas. Tornamos nossa vida mais fácil, mais leve, mais verdadeira. Diante disso, deixo um conselho que é bom, mesmo sendo de graça:Alegrai-vos com as conquistas do próximo para que seu coração se encha de amor e com amor, você sobe qualquer montanha.

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

O poder do bom pensamento

01 de Janeiro de 2016

Na nossa vida, inúmeras coisas ruins acontecem desde o nosso nascimento até a nossa morte. Se pararmos pra refletir a quantidade de eventos que nos deixou triste até hoje, pensaríamos no dia em que deixamos cair um pirulito na pracinha ou quando tropeçamos ao correr pra o escorregador e acabamos ralando o joelho, não é? Pensaríamos também nas pessoas que partiram da nossa vida, na saudade infinita que sentimos daqueles que já faleceram e daquelas que hoje não falamos mais. Porém, se eu te pedir pra me contar as coisas alegres que já aconteceu contigo, você conseguiria relembrar aquele dia em que seu coleguinha lhe deu um abraço? Daquele dia em que você ficou dançando a tarde inteira com seu melhor amigo? Será mesmo? Estamos tão acostumados a esquecer de coisas do nosso cotidiano que perdemos lembranças incríveis. É por isso que devemos praticar um bom pensamento.

Quando começamos a enxergar a vida de uma maneira diferente, também guardaremos nossas lembranças de um jeito mais especial. Esse é o poder do pensamento positivo. Aliás, sabe qual é a força que ele tem? Infinita. Sempre que você estiver triste porque algum imprevisto aconteceu, olhe para o lado e veja algo especial. Algo que você não veria se aquilo tivesse dado certo. É possível extrair beleza nas piores coisas, é só você mudar o seu modo de olhar.Eu falo isso por experiência própria. Quando estou com algo me angustiando, tento citar os episódios mais simples que me fazem sorrir no meu dia-a-dia, até a angustia passar, quando percebo, estou me sentindo mais feliz do que estava antes de ficar angustiada. É algo instantâneo. Você lembra algo que te faz rir, e ri.

Em alguns momentos é mais complicado pensar positivo, eu sei disso, mas como tudo nessa vida, nada é impossível. Se você começar algo pensando que não dará certo, provavelmente isso não dará certo mesmo e não me venha com um “é melhor não criar expectativas, assim você se surpreende” porque não é bem assim. Coisas boas atraem coisas boas. Coisas ruins atraem coisas ruins. Tente ver como se torna mais fácil passar em uma prova quando você diz “Ei, eu sou capaz! Eu vou passar!”. Por mais difícil que o morro lhe pareça, você consegue subi-lo se acreditar nisso.  Principalmente se você perceber que o primeiro passo é esse: acreditar. Como uma coisa vai existir se você não acreditar nela? Complicado, não é?

Quando começamos a pensar de um jeito mais feliz, mais alegre, mais positivo, a vida toda se torna colorida. Sempre que alguém vier lhe dizer algo triste, você enxergará o lado bom daquilo ali e poderá tornar a vida de alguém mais feliz também. Não é errado ser uma pessoa mais natureza, você não estará sendo só mais um que acredita em contos-de-fada não, você estará sendo alguém que ajuda o mundo a ser salvo. Valorizar o bem é necessário. Não tenha medo. Tornamo-nos fortes quando nos tornamos positivos.Pode ter certeza disso. Se tu, de alguma maneira queres mudar a sua maneira de ver o mundo, saiba que o caminho é esse.

Valorize cada detalhe da sua vida, cada coisinha pequena. Veja beleza no sorriso de uma criança que você não conhece, veja beleza na música que está tocando no carro vizinho ao seu no congestionamento, veja beleza nas folhas balançando quando aquela chuva vier, veja beleza no cabelo branco do seu pai quando ele estiver estressado, veja beleza no formato da lama que seu cachorro deixou quando entrou na sua casa todo sujo. Toda raiva, ira, tristeza sairá se você enxergar encanto em tudo. E é aí que está a magia de um bom pensamento, em nunca te deixar ficar mal e te fazer ter as melhores lembranças que alguém pode ter. Nossa vida é só uma! Devemos aproveita-la da melhor maneira e não é reclamando que faremos isso, mas sorrindo sim. Sorrindo sempre aproveitamos mais. Por isso, sorria. Torne-se uma estante de sorrisos para todo instante. 

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.