Arquivo da Categoria Fotografia

Quando você parou de se achar bonita?

10 de setembro de 2016

martinha-barreto-poesia

“Eu nunca fui o exemplo de garota bonita. Eu sou desafinada, mesmo amando cantar. Não sei dançar, apesar de me divertir horrores dançando. Não sei costurar, mesmo sempre costurando as roupas das minhas bonecas. Não sei sorrir sem fechar os meus olhos ou ficar vermelha, apesar de rir de quase tudo. Não sei pegar no garfo usando a mão direita, mesmo sendo ambidestra. Eu sou destrambelhada, apesar de amar ajudar as pessoas em tudo. Eu não sei cozinhar tão bem, mesmo amando testar receitas novas. Eu sou uma completa garota imperfeita. Cresci ouvindo que não sou tão bonita assim, que devia alisar o meu cabelo e deixá-lo sem tanto volume. Aprendi que eu não deveria opinar sobre tudo, ser tão a favor dos que sofrem e que sair pelo mundo ajudando não é algo que vá me fazer bem. Eu não sou uma garota bonita. Não pra sociedade em que vivemos.

Nunca gostei de esportes ditos femininos. Vôlei? Derrubo tudo que toca minhas mãos. Futebol era minha alegria. Falar disso? Jamais, isso não me faz uma garota bonita. Minhas pernas? Finas demais. Vou acabar voando. Minha barriga? Flácida. Minha pele? Cheia de cicatrizes e marcas de injeções. Não, isso não me faz uma garota bonita. Aliás, quantas garotas bonitas nós temos por aí? Somos tão obrigadas a cairmos na perfeição, a sonharmos com o dia em que vamos ser ditas como belas que esquecemos que nossa beleza está por dentro.

Eu posso não andar como a Gisele andou na abertura das olimpíadas, eu posso não ter o corpo das Kardashians e posso ter o meu cabelo igual o daquela princesa, como é mesmo o nome dela? Merida. Eu posso ser assim e continuar sendo belíssima. Todas as minhas particularidades me fazem ser essa poesia ambulante. Eu gosto de ser poesia. Eu prefiro ser poesia. Talvez algum dia eu me ame sendo quem sou, talvez isso não aconteça. Mas alguém, em algum lugar do mundo, me amará por isso. Especialmente por isso. Garotas bonitas são lindas, mas garotas poesia são poeticamente como a água. Essenciais. Então, hoje, numa manhã de sábado, eu me declaro poesia e quando eu parei de me achar bonita? Quando me vi no espelho pela primeira vez.”

 Se você, assim como eu, também se sente uma poesia ambulante, use a hashtag no instagram #soupoesiaambulante, explicando o porquê de você se sentir assim e desde quando parou de se achar uma garota bonita. Vamos fazer uma linda corrente mostrando que somos lindas do nosso jeito, que somos poesia, que somos amor. Selecionarei as fotos e textos para postar aqui. Vem comigo?

poesiaambulante

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

6 dicas para ter um Instagram perfeito. 

24 de agosto de 2016

No post hoje darei dicas de como ter um Instagram perfeito e como isso vai te ajudar a ser feliz nessa rede social que só cresce. Vamos lá?

1) Fotografe as coisas que você acha bonito por aí. O céu da manhã, a flor do seu prédio, à sombra no piso da sua casa, o sorriso do seu avô, o café derramando na xícara, o olhar do seu irmão.

2) Não deixe de postar uma foto que provavelmente não combine.
O seu Instagram tem se adaptar o seu momento de vida e não sua vida a ele.

3)
Deixe que seus sentimentos sejam explanados. Não tem isso de querer só mostrar a vida perfeita. Todo mundo chora, todo mundo sorri, todo mundo adoece. Vida perfeita só em comercial de margarina.

4)
Seja sempre você mesmo. Se inspirar e ver fotos legais é legal e aumenta a criatividade, mas não se prive a isso. Tire suas fotos por si só, alimente sua mente. O que faz a diferença é a gente sentir ali o sentimento de quem fotografou.

5) Não tenha medo de colocar legendas
, se não quiser, não coloque. Mas se puder, escreva do jeitinho que você quiser. Engraçado, reflexivo, poético, apaixonante. Do jeito que você se sentir melhor.

6)
Por último, valorize seu cantinho de fotografias ali. Ele é seu. Ame. Não precise dos aplausos das pessoas pra amar… Você é incrível do seu jeito.

Bom, essas foram dicas que eu tenho pra vocês. Sei que cada um tem um jeito, cada um vê a vida de um jeito, na verdade. Mas, enxerguem a vida de um jeito diferente e tudo mudará.

Com amor, Martinha.

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.

Organizando o Feed do Instagram

14 de maio de 2016

Todo mundo que me conhece sabe que uma das minhas maiores paixões é a fotografia. Eu amo fotografar. Amo passar horas vendo sites onde a maioria das pessoas são fotógrafos e tudo gira em torno das fotos, suas edições, sua poesia e seus sentimentos. Ah, consigo ficar o dia me encantando nisso. Logo, o Instagram é minha rede social favorita, e quando a gente ama algo, temos o maior cuidado com ele, não é mesmo? Por isso, organizo pra que quando as pessoas entrem nele, sintam a poesia que eu quero passar.

Mas, com certeza vocês estão se perguntando como eu faço isso, e de quebra, a minha resposta irá também será para pergunta “qual aplicativo que você usa pra editar suas fotos?”. Bom, eu faço as duas coisas no VSCO. Sério, ele é maravilhoso. Lá tem filtros incríveis, edições básicas como iluminação, contraste e ainda é um App que serve como rede social. Se você gosta de ver inspirações de foto, lá você vai achar. Contudo, não é isso que queremos conversar, né? Vamos falar de edição de feed:

  • Precisa usar o mesmo filtro em todas as fotos? Não
  • Preciso deixar meu feed com uma só cor? Não
  • Preciso nunca mais postar selfie? Não
  • Vou perder minha personalidade? Não
  • Meu feed ficará todo branquinho e as pessoas vão sentir sono quando entrar nele? Fica branquinho só se você quiser e não, não dá sono.

Você não precisa usar o mesmo filtro, afinal, não são todas as fotos que tem mesma iluminação e mesmas cores. Portanto, um filtro que combina em uma foto, pode vir a não combinar em outra. Desse modo, eu vou mexendo na intensidade de uma coisa, diminuindo a iluminação e etc, até ficar se conectando. Geralmente, eu uso os filtros: C6, C7 ou C8 do VSCO. Também gosto muito do HB1 e do A7 para fotos com fundo branco. Colocarei dois presets meu para quem gosta dos filtros prontos.


Também não é necessário que você deixe o feed só de uma cor. Apesar de que são os meus favoritos, sempre fico apaixonada quando entro em um Instagram que segue um padrão de cor, principalmente aqueles vão mudando, tipo, vai saindo do azul pro vermelho. Maaaaas… Não é preciso que você faça isso. Eu não faço isso. Minha personalidade não permite, eu sou muito intensa em relação ao que eu quero agora. Às vezes acordo e sou uma laranja ambulante, do nada me perco no rosa de um tecido que vi por aí e me apaixono pelo céu que está um azul cintilante. Por isso, fico sempre tentando colocar conexões nas minhas fotos. Você nota isso quando entra no meu feed. Contudo, na minha opinião o que deixa um Instagram harmonioso não é um padrão de cor e sim a mistura de fotos. Não colocar do selfie, não colocar só objetos. Deixar que as pessoas sintam você ali, veja o que você gosta de ouvir, seus objetos, o céu de onde você mora, seus animais de estimação, amigos, tudo. Tente capturar a essência da fotografia em tudo isso e verificará como fica encantador.. Mais ou menos assim, mas claro, você não precisa seguir esse padrão, faço do seu jeitinho:


Bom, espero que tenham gostado das dicas e do primeiro post no layout novo hahaha o que vocês querem que eu fale mais aqui? Algum assunto especial? Podem dizer, farei com prazer. Um beijo amoroso, Martinha. ❤️

Ps: se quiser me visitar no Instagram, clique aqui. ❤️

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.