Arquivo da Categoria extraordinário

Resenha do Livro: Extraordinário, de R.J Palacio

10 de novembro de 2015
Esse é o meu primeiro post sobre literatura. Quem me conhece sabe que desde sempre uma das minhas maiores paixões foram os livros, e para quem não me conhece, saiba que eu sou uma amante das bibliotecas.

Então, decidi com todo o amor que existir começar por um livro que marcou a minha vida. Não digo que ele a mudou, uma vez que ele só ratificou o que eu sempre pensei. Contudo, fez-me refletir bastante sobre os desígnios da vida. Sabe aquele tipo de leitura que te faz ficar horas só pensando nela depois que a finaliza? Que você não consegue saber como seguir vivendo depois disso? Pronto, foi assim que eu me senti com o livro do R. J Palacio,  Extraordinário.


Titulo: Extraordinário
Autor: R. J. Palacio
Paginas: 320
Ano: 2013
Editora: Intrínseca

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade… até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros. Narrado da perspectiva de Auggie e também de seus familiares e amigos, com momentos comoventes e outros descontraídos, Extraordinário consegue captar o impacto que um menino pode causar na vida e no comportamento de todos, família, amigos e comunidade – um impacto forte, comovente e, sem dúvida nenhuma, extraordinariamente positivo, que vai tocar todo tipo de leitor.

Falar do Auggie pra mim é uma emoção sem tamanho, e não, não estou exagerando. Ele é uma criança com maturidade de adulto, além de ver o mundo de um modo que eu sempre admirei e tento enxergar. Quando eu me coloco no lugar dele, vejo que eu não teria a mesma força de vontade e a capacidade de ver o melhor das pessoas diante das coisas que o mesmo enfrenta. Ué, mas é por que ele tem uma deficiência? Não, não é por ele, é pelos outros. O ser humano consegue ser perverso maldoso e preconceituoso. Julgam muito pela aparência, pelos padrões e é como combater isso que o Auggie e sua família nos ensinam.
Quando seus pais decidem que ele pode ir à escola, ele poderia simplesmente dizer que não e não enfrentar o bullying que ele sabia que estava por vir. Todavia ele foi diferente, ele aceitou e mesmo com medo, decidiu que ia conseguir vencer o ensino fundamental. Em meio a isso, Auggie conhece pessoas diferentes, pensamentos diferentes, problemas diferentes e maneiras de enxergar a vida diferente. A pureza que ele nota nas pessoas, a analise que ele faz de cada coleguinha é tão pura e verdadeira que deixa o leitor vidrado em conhecer mais daquela história.  Principalmente quando se trata dos seus amigos.

Além disso, a autora faz um jogo bom de visões dos personagens, como no caso da irmã de Auggie. O leitor consegue sentir o carinho que ela sente pelo irmão, quando a história é passada pelo ponto de vista dela. Algo que realmente me cativou, simplesmente por ser algo tão próximo da realidade e que pode ser sentido por qualquer pessoa, principalmente por crianças. Ainda sobre a autora, é valioso ressaltar que a sua escrita não deixou nada a desejar. Por usar palavras fáceis e não tanto adultas, o livro pode ser lido por qualquer pessoa. Devido a isso, em minha opinião, ele deveria ser leitura obrigatória no ensino fundamental, por tratar de um assunto tão lindo e cheio de ensinamentos.

Uma das coisas que eu mais gostei do livro foi a ideia do professor mandar seus alunos fazer seus preceitos com ditados, músicas e até mesmo frases criadas por eles próprios. Gostaria muito que meus professores tivessem feito isso comigo, tenho certeza que teria crescido com a cabeça diferente, aliás, não só eu, muita gente. Esses preceitos ainda geraram um livro, chamado “365 dias extraordinário”, cheio de frases lindas e com verdadeiros princípios. Vale a pena compra-lo também!


Pra finalizar, fica aqui minha avaliação sobre o livro: Se ele valesse de 0 a 10, seria 11. Com certeza é um dos melhores livros que já li em toda minha vida e olhe que já li muitos. Principalmente por se tratar de uma criança tão sábia como o Auggie. Recomendo-o a todo mundo como livro de cabeceira. Quando você pensar “nossa, eu não estou tão magra quanto aquela atriz” leia um trecho do livro. Quando você for reclamar “não aguento mais esse meu cabelo” leia um trecho do livro. Leve pra sempre os pensamentos de Auggie pra ti, e lembre-se que a gentileza é uma das maiores belezas. Ah, espero que tenham gostado do post. Beijo!

Ps: Deixo com vocês uma imagem do livro “365 Extraordinários” que é cheio dos preceitos do Sr. Browne. 

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.