Caminhos

20 de maio de 2017

Eu nunca fui boa com senso de direção. “Esquerda ou direita? Deixe-me ver com que mão eu escrevo.” Sempre foi assim comigo. Obviamente eu deveria saber que não iria fazer o percurso correto no rumo que minha vida iria tomar. Mas eu não soube. Eu me joguei em meio às estradas como quem pula numa piscina funda. Não imaginei que me machucaria. Contudo, a piscina era rasa. A estrada não tinha saída. Eu confundi, pensei estar na esquerda quando estava na direita. E então, tudo o que poderia me fazer bem tomou um efeito reverso e eu me envenenei. Bom, você já deve ter ouvido falar que remédio em dose errada se torna Veneno e Veneno em dose certa se torna remédio. Isso que acontece quando tu caminhas erroneamente e não percebes logo. Isso que aconteceu comigo. Eu saí caminhando sem parar, sem refletir, apenas indo e esperando chegar a parte boa. Mas, espera aí, a parte boa está também nos passos que a gente da. Eu deveria ser feliz percorrendo também. A felicidade final é consequência da junção de todos os momentos alegres que a gente constrói até chegar lá. Entende porque é necessário saber em qual terra você está pisando? Em que nós estamos pisando. Com quem você está pisando.

Martinha Barreto. 19 anos. Estudante de Engenharia Civil. Técnica em Edificações. Sonhadora. Apaixonada por MPB. Flamenguista doente. Viciada em livros. Escreve desde os 12 anos. Um pouco dramática. Um pouco exagerada. Meio Julieta. Meio Helena. Meio Marília. Meio Capitu. Inteiramente palavras.


2 comentários

2 respostas para “Caminhos”

  1. Gabi disse:

    Agora que achei seu blog, virei seguidora aqui também 🙂
    Que lindas palavras, que foto cheia de inspiração, você arrasa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *